Destaque

Mural de Retornos Positivos (Feedbacks)

Orientação Especial Para os Recém-Iniciados

- by Dhin Akari

Orientação Especial
Dificuldade de fazer a Pratica em Casa

Primeira coisa a dizer... querer fazer a prática do processo em casa depois de um dia todo de trabalho e diversas emoções, sejam negativas ou positivas geralmente resulta em fracasso... o motivo é simples, a prática para se comunicar com o Deus interior exige que a mente e o corpo estejam tranquilos, estejam bem. Incômodos no corpo e na mente causam distração. A prática do “Salto” é uma meditação, e como qualquer meditação exige tranquilidade de mente e corpo num ambiente silencioso. Isso seria o ideal, nem sempre é possível esse ideal, mas a situação que mais se aproximar disso é a mais adequada.
Sobre fazer o processo em casa, de fato há essa dificuldade, pois a mente elemental fica sempre querendo sabotar a prática. Porém lá durante o seminário você tem uma pessoa te conduzindo, essa pessoa faz perguntas e espera ser respondida. Se trata então de um costume, se alguém te pergunta algo, você tem de responder, ai a mente elemental como uma criança fica quieta, coagida pela situação, foi um habito imposto pelas circunstâncias.
Mas em casa, sozinho, não tem ninguém esperando a resposta, só você mesmo, então a mente elemental fica relaxada, como uma criança birrenta ela atrapalha a comunicação com a supraconsciência. A pessoa então tem de ter uma forte concentração, essa concentração é treinada com as técnicas do Budismo e Yoga.
No meu caso tive as mesmas dificuldades, mas as resolvi fazendo o seguinte: Eu aqui em casa invocava aquele ambiente do seminário, eu literalmente imaginava a iniciadora ao meu lado, fazendo as perguntas. Isso provoca um tipo de "coação" contra a mente reativa (elemental), essa fica quieta, pois a iniciadora quer saber as respostas de suas perguntas, e está nos pressionando para que respondamos.
Com o tempo fui me acostumando com a concentração requerida, ai aos poucos notei que visualizar a iniciadora ao lado perguntando não era mais necessário, pois um novo hábito havia sido criado, o habito de ficar no estado de "não pensar", o mesmo que as pessoas ficam quando estão na sala de cinema. Sobre a autenticidade das informações, como expliquei lá no seminário, você deve perguntar detalhes tais como: Datas, lugar dos ocorridos, qual a cultura, cor da pele das pessoas, em que lugar se localizava a sua cidade na vida passada, etc...
Depois de fazer a prática anote tudo, e então pegue um livro de história para verificar se as datas, cultura, situação financeira, etc.. batem com o que foi registrado na época. Faça algo parecido como nessa série do Canal Biography da TV por assinatura [Clique Aqui]. Claro que deve-se levar em conta que os relatos descritos num livro de história são sempre uma "hipótese" mais ou menos precisa sobre o que aconteceu no passado, pois os arqueólogos fazem uma 'construção' do passado baseados em escritos antigos (que podem ser mal interpretados) ou em artefatos antigos pouco compreendidos.
Então não é necessário que suas memórias batam "exatamente" com o que está registrado nos livros de história, mas estando próximo já é sinal claro que a memória é real. Devemos dar uma “colher de chá” para os pobres historiadores, coitados... essa ciência não é precisa como a matemática ou a física.



Complemento [1]


Uma pessoa que fez a iniciação e logo na semana seguinte mandou esse email pedindo orientação, ele veio ao seminário gratuitamente, pois afirmou que não conseguia emprego. Disse que estava sem esperanças e que se não recebesse ajuda faria uma “besteira”. Vejamos o que ele perguntou e minha resposta:


Bruno, estou num impasse. Não estou conseguindo acessar os “porquês” dos bloqueios com relação ao emprego. Não sei porque qual razão toda vez que faço o processo, tudo fica centralizado nas coisas que aconteceram nessa vida, e olha que tenho limpado muita “caca” que tava carregando de graça. Eliminei também mais ligações que tinha com pessoas falecidas ou não, que estavam me atrapalhando e sei que ainda tem mais para eliminar. Mas o que realmente me incomoda é que não estou conseguindo atingir o meu objetivo de entender o porque dos problemas de emprego.

O que você sugere? Você permitiria que eu participasse como “ouvinte” só daquela parte inicial do processo em uma próxima turma? Quem sabe assim eu poderia dominar o processo de forma melhor. Tenho feito o processo diariamente sem falhas e tem dias que saio extremamente revigorado e energizado, mas tem outros que saio nervoso pacas! Porque isso acontece?


Minha Resposta:

Então, é como digo no seminário, quem realmente conduz o processo não sou eu, nem o iniciado, mas sim a supraconsciência, é a mente suprema que decide o que vai ser respondido ou não. Agora vejamos... estranho você escrever isso, pois na minha opinião a questão da dificuldade com emprego ficou esclarecido, se trata de obsessão de almas vingativas.

Você casava escravos fugitivos, para que? Bem para fazê-los trabalhar, para eles voltarem à escravidão. Então as almas resolveram te fazer ter problemas com empregos, não querem que você prospere, que seja feliz, querem que você sofra algo parecido com o que fez eles sofrerem. Também pode haver um outro agente ai, a sua própria consciência pesada, acredito que lá no fundo sente que merece sofrer, passar apertos, pois “precisa pagar seus pecados”, unindo essas duas “forças” o resultado é mesmo devastador.

A supraconsciência escolhe o que quer mostrar, você pode fazer mil vezes a pergunta sobre algo, mas se ela não quiser te responder, não vai vir informação, deve então abandonar a tentativa e seguir com outra pergunta que não tem nada a ver com a primeira. 

Dias ou meses mais tarde pode voltar com aquela velha pergunta, nisso poderá obter a resposta. Eu mesmo sempre perguntava como ativar mais a kundalini, mas nunca vinha resposta, depois de 1 ano e dois meses de pratica intensa eu perguntei pelo milésima vez, e então a resposta veio. 

Perguntei: Por que não me respondeu antes? -  A resposta foi  - Simplesmente por que você estava despreparo para saber, se eu te dissesse ativaria mais a kundalini sem o seu sistema está mais purificado, e isso causaria problemas, pois o sistema de chakras tem de estar muito limpo para poder ativar a kundalini, já que ela é uma energia neutra que amplifica tudo o que existe, seja ruim, seja bom.

Então é esse o ponto, se sua supra está só mostrando traumas dessa vida, ou problemas que não tem nada a ver com emprego, então é por que ela considera mais importante esses outros assuntos, uma vez resolvidos esses problemas ela vai prosseguir mostrando o que trava a vida social. Isso claro se houver outros motivos, além daqueles já mostrados...



Complemento [2]


Pergunta de outro iniciado, essa bem comum:

Como faço para diferenciar o que é imaginação e o que é a supra-consciência?

Resposta:

Me pergunta como saber se é imaginação, ou não? Bem... na verdade para o cérebro não existe qualquer diferença entre memória real e mera imaginação. Para saber se é verdade, tem de anotar as informações, se baterem minimamente com os dados históricos e arqueológicos então não há motivo razoável para achar que é apenas "imaginação".  E lembre-se, aquilo que vem na primeira vez, sem você fazer esforço algum para puxar das memórias, é a resposta. Se você estava apenas no aguardo, e ai vem uma informação, então de onde veio? Nós entendemos que veio da supraconsciencia.

Veja o que argumentei numa pagina em meu site, essa:  http://seteantigoshepta.blogspot.com.br/2014/04/vidas-passadas-prova-cientifica.html 

Lá escrevi:  


- Uma médica estudiosa do cérebro, diz que lembranças reais, e imaginação provocam os mesmos efeitos neurológicos no cérebro quando observado por ressonância, o argumento dos pseudocéticos é que isso “prova” que tudo pode ser imaginação... mesmo as lembranças reais, para o cérebro é como imaginação, a diferença entre imaginação e lembrança real, para o cérebro, é... nenhuma! Então, seguindo a lógica dos pseudocéticos, se eu tiver uma lembrança real, mas eles não querem acreditar no que digo, eles podem dizer apenas que eu “imaginei” afinal pouco interessa se é lembrança, ou imaginação, para o cérebro, tanto faz. Acredito que criminosos iriam adorar esse tipo de lógica sofistica, a policia perguntaria - "você matou tal, ou qual pessoa?" - O criminoso responderia - "Olha... eu tenho imagens de assassinatos sim no meu cérebro, mas acho que é apenas a minha imaginação! Pode ver isso ai na ressonância magnética, veja como eu tenho toda a razão!" -


Sobre o Autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

© 2013 Fator Quântico. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9