Destaque

Depoimento - Matheus M. de Freitas

Paralisia do Sono - Por Clauden Eye

- by Dhin Akari



Este não é um post feito pelo nosso querido Din, mas sim por um amigo a quem, na aurora do blog fator quântico, ele ofertou a possibilidade de enviar algum artigo com algum tema pertinente. Na época o blog contava com poucos adeptos e eu não tinha nenhuma idéia doque escrever, muito menos o tempo; hoje o FQ já tem milhares de acessos – tanto que o Din largou do trabalho e agora vive de publicidade (hehehehe, brincadeira!) - e eu tenho muitos assuntos que queria comentar aqui no blog (como minha iniciação), mas continuo sem tempo. Enfim, parece que o tempo relmente não tem dó da gente, então resolvi sacrificar algumas horas de estudo e fazer ao menos um dos posts com assuntos que quero levar ao conhecimento de mais pessoas. Espero que vocês gostem, talvez nossa linha de pensamento/argumentação/escrita não seja a mesma, então tenham em mente que o que vocês lerão é a minha visão do assunto, e não a do Din, OK?

Buenas, então vamos ao que interessa.

Eu jamais soube o que era a tal da paralisia do sono até uma semana após a iniciação do Salto Quântico Genético. Se vcê que está lendo já passou por isso, sabe como é uma experiência não muito agradável: vocês está relativamente consciente, mas não consegue se mover, nem gritar (ás vezes nem respirar), sem falar na presença de coisas geralmente terríveis  sobre você ou em sua cama, em seu quarto... às vezes tens a impressão de estar sendo estrangulado, ou não vê anda mas tem o sentimento de que alguém/alguma coisa está ali. O sentimento de perigo, impotência e angústia fazem dos poucos segundo ou minutos que a mesma costuma durar momentos de terror com a certeza de “vou morrer ou algo muito ruim vai me acontecer”!



Pois bem, depois de muito me apavorar eu resolvi ir atrás e ver se era algo relacionado ao salto, a algum opressor ou ao poder do espírito santo. Primeiramente vamos analizar a explicação materialista do fenômeno:

“A paralisia do sono é uma condição na qual um indivíduo, quase a adormecer ou quando acaba de acordar, percebe que não consegue se mexer, falar ou gritar. Isto pode durar alguns segundos ou vários minutos.

As pessoas afetadas frequentemente dizem que sentem uma presença que é quase sempre descrita como maléfica, ameaçadora ou má. Um intenso sentimento de ameaça e terror é muito comum. É normal que a presença seja vagamente sentida ou que se encontre um pouco ao lado para poder ser visualizada, o que faz aumentar o interesse, e outras vezes encontra-se aos lados ou aos pés da cama, mas como o indivíduo está paralisado não consegue mover a cabeça para a poder ver. Em outras ocasiões a presença pode atacar, estrangular ou pressionar o peito da vítima, para o desespero desta.

Por mais estranho e assustador que isto possa parecer, trata-se apenas de um distúrbio do sono. Surgem muitas vezes interpretações espirituais destas experiências, mas essas interpretações são apenas o resultado das crenças e folclore dos povos. A paralisia do sono é apenas um problema médico, nada mais do que isso.
Ela acontece durante o sono, como forma de evitar que o corpo se mova durante os sonhos. É um fenomeno natural que ocorre todas as noites, embora seja raramente notado pela própria pessoa enquanto se dorme. Momentos antes da mente despertar, a paralisia cessa. Por isso, raramente se tem consciência da sua existência. Se, porventura, a mente despertar antes do mecanismo de paralisação ser desativado, ocorre a consciência da paralisia do sono.
A paralisia do sono acontece durante o período de sono REM, prevenindo assim movimentos corporais durante um sonho. Muito pouco se sabe sobre a fisiologia da paralisia do sono. Entretanto, já foi sugerido que ela pode estar relacionada à inibição pós-sináptica de neurónios motores na ponte do tronco cerebral. Particularmente, níveis baixos de melatonina podem interromper a despolarização em atividade nos nervos, a qual previne o estímulo dos músculos.

Alguns estudos sugerem que existem vários fatores que aumentam a probabilidade da ocorrência de paralisia do sono e de alucinação. Eles incluem:

- Dormir de barriga para cima.
- Agenda de sono irregular; sestas; privação de sono.
- Stress elevado.
- Mudanças súbitas no ambiente ou na vida de alguém.
- Sono induzido através de medicamentos, como anti-histaminas.
- Uso recente de drogas alucinógenas.



Há diversar outras definições internet afora, mas esta é uma das que mais me agradou porque resume muito bem as razões de sua ocorrência e ainda lista fatores que podem aumentar as chances da mesma ocorrer. É a aceita pela medicina convencional, que inclusive tem remédios para tratar (como Rivotril). Lembro de ter lido a algum tempo que, caso sofresse de paralisia do sono, você deveria “procurar um médico, e não médiuns nem xamãs”.

Vamos agora à versão mais espiritual da coisa, há dezenas de sites espíritas que tratam do assunto: espiritismo explica a PS como sendo uma projeção do espírito para fora do corpo, chamada pela doutrina de desdobramento, mantendo-se ambos conectados por uma espécie de“cordão de prata”;  Para as religiões cristãs, em especial os evangélicos, o caráter é totalmente negativo e assustador, falando de possessões demoníacas, sufocamentos e muitos depoimentos de gente que, ao acordar, se converteu (algo tipo “Jesus, eu te aceito, mas não deixa isso acontecer mais comigo não!”). Colocarei alguns links no final para os interessados, mas acho uma grande perda de tempo. Además, por ser um fenômeno universal, temos lendas em torno do fenômeno em todo o mundo (no BR chama-se pisadeira
).
Estamos, então em uma encruzilhada, como quase sempre se encontram a ciência materialista ortodoxa e as doutrinas “do imaterial”: Todas tem razão e a explicação e não há interação entre elas.

Ao passar por uma experiência destas, ou mesmo ler os depoimentos de gente que passou por ela você relmente se sente inclinado a crer que há caroço no angú. São “alucinações” das mais variadas formas, pessoas que não se encaixam nos fatores “propícios” e sofrem com isto todas as noites; Há alguns convencidos de que a PS é a “porta” para se ter sonhos lúcidos (embora eu nunca tenha conseguido) e cheguei a ver um relato de um cidadão que afirma chegar a sangrar pela boca após o acontecido! Não tenho, claro, como comprovar a veracidade dos depoimentos, mas convenhamos que é muita falta do que fazer sair pela internet afora espalhando desinformação deste tipo –Exceto os religiosos que estão lá para dizer “eu tive a experiência e FOI POR ISSO”, ou seja, eles querem “divulgar” sua crença e naturalmente aumentam ou inventam, por isso procurei ler depoimentos de gente que relatou somente para pedir explicações, e não embutir a sua própria no relato. Outros teorizam que os ditos relatos de abdução são más interpretações destes acontecimentos.
Como leitor desde blog você certamente está tentado a aceitar a explicação espiritual da coisa, mas o fato é que as causas envolvendo a PS estão muito bem documentadas nos meios científicos, tanto que há até um “guia” para induzir a mesma. Isto mesmo, a PS é um fato científico porque pode ser testado, ou seja, falando de forma pejorativa, é só juntarmos um monte de funcionários públicos em um laboratório (perdão se algum está lendo! Rsss), aplicarmos a técnica, determinar que parâmetros queremos medir e voilá, temos um estudo sobre o assunto!

(Tente hoje à noite mesmo, funciona!)

Três técnicas de indução da paralisia do sono. (FONTE: http://fisica2100.forumeiros.com/t1021-tudo-sobre-a-paralisia-do-sono)

I

Deite-se na cama de barriga para cima e com os braços estendidos paralelos ao corpo. Agora relaxe e não tente mexer mais o corpo, deixe-o assim mesmo e mantenha-se atento à sua respiração; sinta o ar a entrar e a sair dos seus pulmões e esqueça tudo o resto. Passados uns dez minutos vai sentir um formigueiro no corpo ou um zumbido no ouvido. Não se mexa e deixe tudo acontecer, porque o seu corpo já está a começar a paralisar e as alucinações começam a surgir passados uns segundos. 

Tenha calma, lembre-se que as alucinações são produzidas pela sua mente e disfrute da experiência. Se, por outro lado, começar a ficar aterrorizado e quiser sair do evento, pisque os olhos incessantemente ou respire profundamente que a paralisia passa na hora.

II

Evite comer à noite e deite-se de barriga para cima, com os braços estendidos ao longo do corpo. Procure escutar o som do seu coração, concentre-se nele e imagine-o a pulsar na ponta do nariz. Quando conseguir senti-lo mesmo na ponta do nariz, passe a senti-lo na orelha esquerda, nas pontas dos dedos da mão esquerda, dedos do pé esquerdo, pé direito, dedos da mão direita, orelha direita e novamente no nariz. Nesse momento, já começa a ver imagens dos sonhos. Tome cuidado para não adormecer e concentre-se nas imagens que está vendo.

Mantenha a calma, lembre-se que tudo o que vê é apenas um sonho. O medo e a provável presença maligna é apenas as amígdalas cerebelosas - a parte do cérebro responsável por a emoção primária do medo - em excesso de atividade, não o reflexo de uma realidade exterior objetiva.

III

Sabe quando se deita para dormir e fica se mexendo de um lado para o outro até adormecer de vez? Você deita-se numa posição confortável e tenta dormir. Aí, sente que é melhor virar-se para o outro lado, e fica assim algumas vezes, sempre a mexer-se. 

Então, desta vez, deite-se numa posição confortável e não se mexa. Quando chegar a hora em que lhe apetece virar para o outro lado, não se mexa. Controle-se. A vontade de se mexer vai aumentar, mas use a sua força mental e não se mexa de forma alguma. Ao mesmo tempo, tente relaxar, mas não adormeça. Permaneça concentrado e tente esvaziar a sua mente de qualquer pensamento.

O que acontece: o cérebro cria essa vontade de se mexer como um teste para ver se você já está "no ponto". Ou seja, você vai ficar se mexendo até o sono ser muito grande, aí, quando você não se mexer mais, o cérebro percebe que é hora de dormir e começa a "desligar" seus músculos (paralisia do sono). É dessa forma que o cérebro percebe quando você está pronto para dormir. Se você se controlar e não se mexer, o cérebro começa a desligar o corpo, só que com a mente ligada, que é o objetivo desta experiência.

Ok, aqui eu encerro a parte “neutra” (espero que tenha ficado! Haha) do artigo, quero que tirem suas próprias conclusões e que elas não sejam afetadas pelo meu relato, combinado?
Primeiro vamos aos fatos:

1. Eu fui começar a sofrer com PS apenas pouco tempo depois de iniciado.
Eu me encaixava em um ou dois pontos daqueles que facilitam sua ocorrência, mas isto já faziam uns 4 anos (duvido que um estudante universitário consiga escapar de todos os ítens da lista! hehe). Além disso, fui perguntar pessoalmente a todos os parentes diretos que tenho e nenhum deles sofreu alguma vez disso, o que também elimina a hipótese de me encaixar em um dos raros casos de
herança genética.

2. A PS é algo que pode ser induzido e, ainda que as reações fisiológicas por trás de mesma estejam um tanto obscuras, parece ser um fenômeno natural e sem maiores consequências. Até hoje, ninguém morreu por causa dela, nem nos casos de “sufocamento”, prova que seu corpo é quem controla o “despertar” e não vai deixar que você se dê mal. Além disso, segundo nossa querida wikipedia, ao menos 60% das pessoas já passaram por isso, então nem eu nem ninguém precisa se converter ou se achar especial/perseguido! Sempre desperto meio assustado, mas a vida segue e as sessões do Salto nunca revelaram nenhum implante após sua ocorrência. 
3. Nem todas as vezes que o “negócio” me aconteceu foram ruins: em algumas eu senti um calma incrível! Houve também uma em que uma voz feminina me mandou dizer a um primo que “cuidasse do fígado”! Isto me deixou muito encucado, porque em geral eu sou tomado pelo pavor quando a coisa acontece “Ah, não, de novo!” e lá vem coisa ruim... mas, nestas raras ocasiões, era como se uma presença “boa” estivesse comigo, então mesmo tenso o clima era bom, não havia agonia nem desespero e logo podia me mover.
4. A tão publicada técnica do “não se apavorar e tentar levantar” para ter sonhos lúcidos nunca funcionou comigo, e olha que eu tentei! Se algum de vocês já conseguiu, por favor, conte como foi!

Agora o motivo que me levou a escrever para o blog: Em uma viagem, tive que me hospedar na casa de desconhecidos, gente muito amigável e hospitaleira. Infelizmente, só dispunham de um quarto para visitas, que era o mesmo onde tinham altares e toda sorte de cacarecos para praticar suas orações. Senti o clima “hostil” do local na hora, mas fazer o que, era lá ou na rua e eu não queria ser desrespeitoso com meus anfitriões, então aceitei. Bom, a religião deles era uma mistura de religiões africanas (com várias imagens de orixás e entidades espalhadas pelo quarto + cristianismo (virgens-marias e cruxifixos por todos os lados) + santo daime, que eles consumiam nos cultos. A cama ficava de frente para a porta e quase paralela a uma sacada, que deixei aberta por ser verão.
Instalei-me, conversei demoradamente com os donos da casa sobre sua religião, e perto da meia noite, fomos dormir. Dei uma conversadinha com a supra e o cansaço me venceu. Lembro que, lá pelas tantas, estava sonhando estar em algum tipo de campo ou colina, com várias pessoas muito bonitas e amigáveis perto. Elas podiam flutuar, e eu queria fazer o mesmo mas não podia; então uma das mulheres abraçou-me por trás e, pressionando-se contra minhas costas disse “você pode voar sim, só me deixe entrar que eu te ensino”. Aquela altura a bela colina havia se tornado uma floresta densa e repleta de tochas, mas para mim nada disso parecia importar, estave em êxtase com a possibilidade.
Eis que, uma voz soa alta e forte na minha cabeça, certamente a voz da supra: “Lembre-se de onde você está”. Foi instantâneo: eu lembrei-me do quarto, da provável cilada em que estava me metendo e a bela moça transformou-se eu uma entidade africana de corpo negro e muitos adereços escondendo a cabeça. Haviam muitas outras ao redor formando um círculo, e pedi à supra que me ajudasse a despertar e escapar de lá. Por ironia do destino (ou não) despertei na mesma hora mas veio a paralisia do sono e lá estava a tal entidade “puxando meus pés” para fora da cama e tentando que eu levantasse por mim mesmo: “levante como eu mando e vai ter os sonhos lúcidos que tanto quer!” “se quiser, você pode sair voando por aquela sacada, ou eu posso te arrastar e te jogar”.
O pavor era muito grande, porque a voz não saía e eu podia sentir a intenção nada boa da aparição, vocês podem imaginar qual era. Foram minutos que pareciam horas de luta, até que um dos anfitriões da casa abriu a porta do quarto e entrou. Fiquei muito aliviado e imaginei que me ajudaria, mas ele ficou estático olhando para a cena e percebi que seus olhos estavam brancos e virados para cima, sua boca aberta e o corpo completamente molenga. Quando vi que ele não ajudaria ou talvez até atrapalharia, tentei usar a técnica  de piscar várias vezes para sair da paralisia. Deu certo, mas o curioso foi que, ao me mover, ambos desapareceram, a porta estava fechada (como esperado) mas meu corpo estava completamente torto na cama, com os pés para fora da mesma e a cabeça contra a parede! Não havia possibilidade de eu ter dormido naquela posião, pois era muito desconfortável e o azulejo do chão gelado!
Eram três da manhã e estava mais cansado do que quando tinha ido dormir, mas resolvi ligar o celular e ficar jogando até amanhecer! Hehehe!

Enfim, será que na PS estamos de verdade suceptíveis à ataques de entidadades ou apenas projetamos nossos medos e nos apavoramos? Qual a lógica por detrás das alucinações que temos? Uma coisa é certa: não vá levar seu filho na igreja para ser exorcizado por causa disso, pelo bem da criança!

Eu não desisti de descobrir, mas quero uma folga. Por enquanto tudo que faço quando passo por isso é piscar muito e pensar com todas as forças no café da manhã!

Clauden Eye

Sites com informações interessantes/ relatos

Sobre o Autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

© 2013 Fator Quântico. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9